Vou começar este post com um breve resumo de como foi o nosso 2º Encontro do Seja Mais Simples neste ¨Outubro Rosa¨ de 2017.

A expectativa de todos era grande sobre o que iria acontecer neste encontro?!

Muitos ainda não conhecem a proposta deste projeto que é levar amor embrulhado em forma de presente, risos, calor humano, brincadeiras e tantas outras formas de fazer com que uma simples tarde de sábado se transforme em um momento especial.

E assim o nosso encontro de sábado começou com uma explanação da Lene Resieri sobre a importância deste projeto para ela e as demais participantes do grupo.

Na sequência foi realizado uma palestra com uma reflexão profunda do quanto as nossas atitudes influenciam as nossas vidas, e é capaz de nos impulsionar ou nos paralisar em busca de nossos sonhos.

Para encerrar ela leu uma carta escrita por uma das participantes do grupo em agradecimento ao projeto que replico abaixo, e que muito me deixa feliz em saber que estamos avançando e alcançando os rumos propostos pelo projeto.

O meu muito obrigada a todos os que participaram e já criem expectativas para o próximo encontro que será ainda melhor.

Um grande abraço a todos!

Lene Resieri

 

No final do post você poderá curtir todas as fotos, videos dos momentos especiais desta tarde!

 

 

Carta escrita por Estelinha  Mendes ao projeto Seja Mais Simples

 

Uma Simples Carta

A água fria do mar molha meus pés que estão cheios de areia, sinto o vento que toca meu rosto e traz uma areia fininha que vai se acomodando em seu lugar.

O cheiro do mar, o som das folhas das arvores balançando, enquanto sinto a água fria me molhando eu contemplo o céu com todo o seu azul que parece entrar em meus olhos me fazendo enxergar o infinito amor de quem o criou.

Sinto-me tão pequena naquela imensidão de mar e céu, me sinto frágil, e a cada momento eu posso perceber o quanto eu não mereço nada daquilo, mas mesmo assim me é dado esse momento tão singular.

To aqui tentando entender como tudo na minha vida sempre foi providenciado no momento certo, mesmo na minha mais miserável existência.

Eu entendo que é a fé que me move, mas acredito nos planos que Deus já havia traçado deste antes de eu nascer; e isso também é fé, não é?

Eu sei que tudo que acontece na minha vida tem a assinatura Dele no final, porque o que tenho tentando é deixá-lo me guiar.

Foi o que aconteceu naquele dia, quando me deram um numero de telefone e me disseram que alguém iria me ajudar.

Como alguém poderia me ajudar naquele momento?

Eu havia descoberto que algo ruim estava em meu corpo, e junto com tudo isso veio a desesperança, veio a tristeza, o choro, o desespero de alguém que sempre teve fé, mas que naquele momento viu que uma página de sua vida estava sendo escrita de uma forma muito dolorida.

Como alguém se importaria com tudo aquilo?

Fiquei em casa pensando, e esperando aquela ligação, que talvez nem acontecesse. Num momento de esquecimento de receber aquela ligação, de repente meu telefone tocou, e eu percebi ser um numero diferente, confesso que antes de atender eu suei, quis não atender, senti frio e calor. E neste momento aqui na nessa praia, posso lembrar nitidamente daquele dia, que vou tentar descrever em algumas palavras tudo o que aconteceu:

Então atendi ao telefone, e pude ouvir uma voz alegre do outro lado chamando meu nome e se apresentando como alguém que poderia me ajudar que não me daria à cura, mas me ajudaria a entender todo aquele momento. Ela com sua voz suave mas ao mesmo tempo sorria muito, e me dizia que conhecia todo aquele momento porque já havia passado por aquilo, ela não podia falar muito naquele momento, mas em 5 minutos que conversamos eu pude perceber que tinha mais alguém, além da minha família que estaria comigo na minha nova página da vida.

Ela desligou o telefone se despedindo como se a gente já se conhecesse uma vida inteira, e eu soube naquele dia que seria assim, como se fosse uma vida inteira.

Os dias passaram, e num belo dia pude conhecer outras iguais a mim, com seus medos, com suas esperanças, com seus choros e alegrias, mas que me ensinariam que eu só precisava ser mais simples.

Confesso que alguns momentos eu recuei, eu fiquei calada por dias, só lendo, ouvindo, e sem simplesmente falar nada, eu lia as experiências, eu lia o sofrimento e sofria junto, eu chorava quando uma delas chorava, eu sorria quando alguém tinha uma vitória, e ficava imaginando quando eu conseguiria dizer algo, quando eu conseguiria me expressar.

Um dia, talvez um dos piores da minha vida, meu cabelo caiu, os pêlos do meu corpo caíram todos, e eu buscava resposta em alguma coisa, buscava entender, procurava respostas, me senti um monstro, eu me olhava no espelho e tentava me ver naquela pessoa que estava ali na minha frente; eu chorava muito, muito, e o desespero tomava conta de mim. Eu peguei meu telefone, e liguei para aquela que seria minha amiga pra o resto da minha vida, ela me acalmou, disse que no lugar daquela que eu achava ser um monstro, havia uma linda mulher, e que eu precisava enxergar e sentir que aquele momento passaria, mas que eu precisava me manter forte e que ela estaria do meu lado.

Aquele grupo de mulheres estava do meu lado, estavam comigo, me apoiando, me carregando quando eu não conseguia andar, enxugando minhas lágrimas através de palavras, me dando conselhos, me mostrando o lado bom daquilo tudo.

Entendi numa certa noite de desespero que mesmo nas madrugadas,  quando o sono não vinha, sempre tinha alguém ali naquele grupo, e que mesmo alguém de muito longe, estava comigo, e pode naquela noite me tirar de um abismo em que eu estava entrando que não teria mais volta, em apenas algumas palavras que eu ouvi: Faça um chá, sente em seu sofá e leia a bíblia, e foi o que eu fiz, e eu pude refletir e ver que Deus estava providenciando tudo, como Ele sempre fez.

Eu aprendi a confiar mais, eu aprendi a entender mais as situações da vida, eu aprendi que a cura era algo que viria em seu tempo, e aprendi principalmente que eu não estava só.

Aprendi que ser mais simples nos momentos de adversidades seria a minha saída pra não sofrer tanto.

Fazer parte de um projeto ia além de ser ajudado ou ajudar alguém, era fazer parte da construção de um legado.

E hoje aqui na frente desse mar, debaixo deste céu, e mesmo me sentindo tão pequenina, eu faço parte desse legado.

Ser mais simples,  é isso tudo aqui, é esse momento agora, é esse mar, essas ondas, essa areia, e esse céu. Ser mais simples é entender que mesmo sendo um grãozinho nessa imensidão, nós não estamos sós, e que Deus esta em tudo o que é perfeito, e Ele coloca em nossas vidas, pessoas que fazem total diferença nos momentos que parecem ser os mais complicados.

Hoje eu sou mais simples.

Posso me levantar agora dessa areia, dessa praia, respirar bem fundo e entender que o amor de Deus se manifestou pra mim, através desses anjos que me acompanham nesses momentos, e que Ele providencia tudo.

Sejam Mais Simples.

 

Estelinha Mendes e sua mãe Elisa

 

 

 

 

 

 

 

CONFIRA OS PRINCIPAIS MOMENTOS DESTA TARDE ESPECIAL