O câncer é o resultado de um crescimento desordenado e múltiplo das células de nosso organismo.

Enquanto as células saudáveis vão crescendo e se substituindo de uma maneira “programada”, as células cancerosas se dividem e desenvolvem de maneira aleatória, espontânea e incontrolada.

Isso se deve à alteração do mecanismo que se encarrega da inibição da reprodução celular. Assim, as características das células cancerosas são as seguintes:

  • Crescem rápido demais
  • Não podem se organizar por si mesmas
  • São incapazes de se autorregular

“Dado que não obedecem a nenhum padrão, as massas de tecido que se formam não se parecem com as de um tecido normal, e por isso recebem o nome de neoplasias.”
Partindo desta base, devemos saber que os tumores benignos tendem a comprimir os tecidos que os rodeiam, mas não penetram em seu interior. Neste caso pode ser necessário removê-los para que não causem anomalias funcionais ou estruturais.

Por outro lado, os tumores malignos penetram no tecido adjacente e se estendem pelo interior do nosso organismo, podendo chegar a passar pela corrente sanguínea, ou pelos canais linfáticos.

Assim, os tumores são classificados em 4 tipos:

Carcinomas: os que se formaram a partir de células que recobrem as superfícies como a pele, o intestino, a membrana do sistema respiratório, urinário e gastrointestinal. São os mais comuns.

Sarcomas: os que provêm de regiões mais profundas, como a cartilagem dos ossos ou os músculos.

Linfomas: são tumores que se originam no tecido linfático (pescoço, virilha ou axila).

Leucemia: câncer gerado no sistema sanguíneo.

Fonte: Melhor com Saúde