Pílula do câncer – Assim está sendo chamada a fosfoetanolamina e este estudo tem gerado muitas polêmicas, dúvidas e ansiedade na população carente de alternativas para uma sobrevida. Abaixo reproduzi um breve resumo, entretanto vale a pena clicar no link abaixo do post e conhecer um pouco mais.

 

Resumo

A fosfoetanolamina é pesquisada pelo Instituto de Química de São Carlos, da Universidade de São Paulo (USP), há cerca de 20 anos por meio de estudos conduzidos pelo professor aposentado da universidade Gilberto Orivaldo Chierice. A substância imita um composto que existe no organismo, o qual identifica as células cancerosas, permitindo que o sistema imunológico as reconheça e as remova.
A substância vinha sendo distribuída de forma gratuita no campus da universidade em São Carlos. Em 2014, a droga parou de ser entregue depois que uma portaria determinou que substâncias experimentais tivessem todos os registros antes de serem liberadas à população. Sem a licença, pacientes passaram a conseguir a liberação na Justiça, por meio de liminares.
Conheça um pouco mais clicando no link abaixo: